Posts com Tag ‘preconceito’

Narrow Minded

Publicado: 9 de dezembro de 2014 por Kzuza em Comportamento
Tags:

tv-vs-reality

Vi nesse final de semana muita gente publicando no Facebook uma notícia que saiu no jornal Estado de São Paulo sobre as manifestações na Avenida Paulista nesse sábado. Na reportagem, uma foto chamava a atenção: um grupo de pessoas segurando 2 ou 3 cartazes pedindo intervenção militar. Foi o suficiente para muita gente desqualificar a manifestação, sem mesmo entender o que se passava. Imediatamente me lembrei da charge que ilustra esse meu texto (foi difícil encontrá-la na internet e, infelizmente, desconheço o autor).

No domingo fui à feira de automóveis no Anhembi com meu pai. Naquele universo de carros e motos à venda, vi um Kadett todo arrebentado, mal cuidado, à venda. Pensei comigo: se eu tirasse uma foto somente desse carro e colocasse na Internet, em um grande canal de comunicação, e escrevesse um curto texto dizendo: “Feira de automóveis do Anhembi está em decadência e só atrai vendedores de carros velhos e mal cuidados”, qual seria a repercussão disso?

O que vejo cada dia mais é uma visão extremamente estreita das pessoas a respeito da realidade que as cerca.

Há sempre uma tentativa de desqualificar o grupo de pessoas com o qual você não se identifica por apenas um ou outro caso isolado, que não representam a realidade dos fatos. É basicamente um preconceito idiota justificado pelas exceções. Quantas vezes você não faz isso no seu dia-a-dia, e depois ainda fica criticando um amigo seu que você julga preconceituoso?

Think about it…

Sem mais!

Publicado: 19 de junho de 2011 por Mathias em Comportamento, educação, Política
Tags:, , , ,

Mathias

Respeito!

Publicado: 2 de junho de 2011 por Kzuza em Comportamento, Cotidiano
Tags:, , , ,

Tá bom, sei que já escrevi muito aqui sobre respeito, preconceito e o mundo chato de hoje em dia. Mas vou continuar batendo na mesma tecla.

Isso porque outro dia vi, lá em São Caetano, umas faixas de uma nova campanha chamada “Respeito Total ao Pedestre”. Em São Paulo também está se falando muito nisso ultimamente. Então fiquei pensando: puta iniciativa legal, né?

Ao mesmo tempo, o governo federal vive um impasse sobre liberar ou não o tal kit anti-homofobia nas escolas. Isso para que as crianças tenham mais informação e não tenham preconceito quando ao homossexualismo.

Aliás, não se fala em outra coisa ultimamente senão no respeito aos gays, não é mesmo? Vi até que a Polícia Militar do Rio de Janeiro será especialmente treinada para lidar com homossexuais.

Prega-se também o total respeito à negros e à cadeirantes.

Fala-se muito em bullying nas escolas. Tenta-se coibir isso, para que as criancinhas aprendam a respeitar os seus amiguinhos e tratá-los todos igualmente.

Peraí, caralho! Será que sou só eu que estou percebendo que o problema, na verdade, não é relacionado aos pedestres, aos gays, aos negros, aos cadeirantes, ou às crianças gordinhas ou de óculos?

O problema é muito maior. O problema geral está no fato de que o homem não respeita mais ninguém, meu camarada. Vivemos num canibalismo social cada vez mais acentuado, onde o mais forte come o mais fraco. E infelizmente é cada vez mais raro pessoas que saibam respeitar umas às outras.

Sério, quantos exemplos não vemos diariamente que comprovam o que estou falando? O cara não respeita a fila do ônibus, a fila para entrar no metrô, não levanta para dar lugar a um idoso. Muita gente é incapaz de realizar uma gentileza sequer, por mais simples que seja. O que podemos esperar?

Além do mais, eu sou um puta cara cético sobre esse assunto de preconceito. Aliás, não sou nem muito adepto a esse tal lance de “pré” conceito. Pra mim, é conceito mesmo, e TODOS nós temos os nossos. É sério. Se você diz que não tem preconceito, você é um hipócrita! Mentiroso descarado! É sim. Porque preconceito não é somente quanto à raça ou opção social. Vai muito além disso, e está em todo lugar, queira você ou não. É natural do ser humano. Cada um forma os seus próprios conceitos.

Quer um exemplo claro de que o preconceito está presente em tudo? Você sabia que, em pleno século XXI, o Banco Bradesco não admite funcionários que usem tatuagem? Homens não podem usar barba, nem brincos. Piercings? Nem pensar. E por que, em relação à isso, ninguém resmunga? Quer dizer que o cara é pior que o outro porque usa barba?

Se você acha que não tem preconceitos, pegue um ônibus lotado, seu hipócrita. Ou um metrô. E analise se você olha todas as pessoas da mesma forma. Pessoas anônimas, que você provavelmente nunca mais verá na vida.

Eu acho direito de cada um gostar e deixar de gostar do que quiser. E defendo isso. Assim como defendo que ninguém deve se sentir ofendido porque outra pessoa não gosta dele, por qualquer que seja o motivo. Fico putíssimo com isso. Já pensou se toda menina de cabelo rosa ficasse ofendida quando as pessoas preferissem não sentar ao lado dela no metrô? Já pensou se todo tatuado resolvesse fazer manifestação ou entrar com processo contra aquelas senhoras que olham de atravessado para eles?

Parem de utopia! Chega de tentar achar uma forma de termos um mundo onde todos gostam de todos. Nunca será assim!

A questão, meus caros, como levantei lá no início do texto, é o RESPEITO! É isso que está faltando. Poderia ficar escrevendo mais inúmeras linhas aqui sobre o que eu acredito serem as causas da falta de respeito entre os seres humanos, mas vou parar por aqui.

Goste de quem quiser, e desgoste de quem quiser também. Isso é natural! Só faça um favor pra humanidade: respeite os outros! Respeite os que gostam e os que não gostam de você também.

Particularmente, eu acho muito mais fácil respeitar quem eu não gosto, do que gostar de tudo e de todos. E você?

… pra que lado eu corro!

Publicado: 9 de abril de 2011 por Mathias em Política, violência
Tags:, ,

É Zuza… a coisa tá feia.

Rapaiz, tava vendo umas fotos no UOL sobre um confronto no MASP de grupos pró e contra o tal do Bolsonaro, o deputado machão que não gosta de viado e que acha negro promíscuo. Engraçado que o deputado é de Campinas e depila o peito!

A polícia interveio no confronto, para sorte do pessoal que não gosta de deputado, porque os caras do pró eram todos bombados, carecas com tatuagens da suastica e simbolos da SS, já vi esses Skinhead’s e dá medo, os caras são nazistas mesmo. Será que sabem da tal metrosexualidade do deputado?

Bom, eu só lembro do deputado em outra polêmica, uma treta com a deputada Maria do Rosário do PT.

Fato é que o cara é problema mesmo… a ficha do cara no Wiki é grande! kkk

Histórico: http://pt.wikipedia.org/wiki/Jair_Bolsonaro

Se cuida Bolsonaro, FUI!

Fotos: http://noticias.uol.com.br/album/100409bolsonarus_album.jhtm?abrefoto=5#fotoNav=1

Pra vc Bolsonaro:

Exposição e Ocultação

Publicado: 3 de abril de 2011 por Mathias em Comportamento
Tags:, ,

É… a galera gosta de se expor, seja na mídia, nas redes sociais, seja nas ruas, todo mundo quer ser reconhecido, todo mundo quer que o mundo saiba quem é você. Todo dia surge novas formas de se expor, com tecnologia e anonimato o aumento é geométrico. Mas não é só culpa do anonimato porque agora temos os bonequinhos nos carros, aquele adesivinho que se espalhou como um viral por toda a cidade.

Esse adesivinho fala muito sobre as pessoas, mostram para o mundo sua família… é até um pouco cômico, tem carros com um bonequinho e um passarinho. Outro dia vi uma kombosa com uns 200 bonequinhos! De longe sacamos que o dono do carro é casado e tem um gato.

Alguns querem mostrar, inclusive, sua profissão ou hobby, tem adesivinho com capacete, skate e notebook, se a esposa é gastadeira tem sacolas na mão.
Alguns são engravatados e a mulher tem um carrinho de bebê… daí já sacamos que um bebê acabou de nascer.
Aqui na capital tem bonequinho com prancha, é o surfista paulista de fim de semana!

Tudo muito bonitinho, muito certinho… o orgulho paira em mostrar a normalidade para o mundo porque assim você é aceito sem precisar se defender ao andar na calçada.
Os bonequinhos padronizados até tem algumas variações, mas ainda não vi bonequinho gordo, baixinho, desmunhecando, nem bonequinhas com roupa de homem.
Agora tem bonequinho colorido mas nunca vi bonequinho preto, nem japa, nem vermelho, nem albino, nem sujo e bangelo… todos tem um tom pardo-marrom-claro-cor-de-blush.

Não vi ainda bonequinho fumando, nem bebendo um mé, acho que não veremos bonequinhos fungando algo com um cartãozinho na mão.
Esse tipo de atividade/hobby ou aparência é ocultado com razão… Imagine um carro com um adesivinho de 2 caras de mão dada, provavelmente seria alvo de pedras e pregos nos pneus. Talvez um adesivinho com uma família gordaça, devorando um bigmac seria motivo de risadas nas ruas.

Com bonequinhos todos são iguais, confortável e correto.

Acho que ainda vai aparecer os tais bonequinhos descolados de pessoas resolvidas… resolvidas na sua aparência, na sua vida, na sua opção sexual.
Falando nisso, preciso incluir um novo membro no adesivinho “normal e correto” do meu carro!!!
FUI! Mathias.

Ouvindo:

Mundo fresco

Publicado: 1 de fevereiro de 2011 por Kzuza em Comportamento
Tags:, ,

Voltando ao assunto das frescuras do mundo moderno, ontem assistindo ao Jornal Nacional vi uma reportagem sobre as obras do Mestre Aleijadinho e fiquei pensando: o que teria acontecido se esse coitado tivesse nascido nos tempos atuais, heim? Que coisa mais feia chamar um deficiente físico de “aleijadinho”. Caraca! O Ministério Público ia cair matando em cima. Imagine só na escola, coitado? Os amiguinhos, vendo-o numa cadeira de rodas, diriam: “Lá vai o aleijadinho”. Pronto! A direção da escola chamaria os pais para uma advertência. O Fantástico e o Altas Horas fariam uma reportagem sobre o caso. Psicólogos iriam dar suas opiniões, blábláblá, blábláblá…

Graças a Deus estou no auge dos meus quase 30 anos. Na minha época, as coisas eram bem mais diferentes e, desculpem-me os conservadores, muito melhores do que hoje.

Fico pensando como seria minha infância / adolescência se fosse nos dias atuais.

Um dos meus melhores amigos, o Cabeça, o que seria dele? Imagine só, na escola! Todos zombando do tamanho da cabeça do menino! Se fosse hoje, nossos pais seriam chamados, receberíamos punições. O Cabeça seria encaminhado para tratamento psicológico por sofrer bullying.

E eu, que desde a infância sou chamado de Cazuza? Drogado, viado e aidético. Passei minha vida ouvindo isso! O que aconteceria se isso fosse hoje, por exemplo?

E o Bola? O Baleia? O Narigudo? O Boeing? Poderíamos chamá-los assim hoje?

Pior ainda! E aquela zueira que sempre acontecia quando um amigo tinha um jeito afeminado, ou aparecia com uma camisa cor-de-rosa, ou quando assumia gostar de New Kids on the Block? “Aí, lá vai o viadinho! O masca-rola! O bambi!”. Deus o livre! Hoje em dia, isso é comportamento homofóbico. Dá cadeia! Aliás, hoje em dia, você é o estranho se não gostar de Justin Bieber, se não fizer chapinha no cabelo ou se não andar rebolando.

Enfim, graças a Deus eu estou ficando velho. Se fosse adolescente, já tinha me suicidado.

Lavagem Cerebral

Publicado: 21 de novembro de 2010 por Mathias em Cotidiano, Música
Tags:,

Racismo preconceito e discriminação em geral é uma burrice coletiva sem explicação, afinal que justificativa você me dá para um povo que precisa de união. A “elite” que devia dar um bom exemplo é a primeira a demonstrar esse tipo de sentimento num complexo de superioridade infantil ou justificando um sistema de relação servil.
E o povão vai como um bundão na onda do racismo e da discriminação não tem a união e não vê a solução da questão, que por incrível que pareça está em nossas mãos só precisamos de uma reformulação geral,
“Uma espécie de lavagem cerebral”.

Texto atual hein!

Lavagem Cerebral – Gabriel, O Pensador (1993)

Distorção

Publicado: 28 de abril de 2010 por Mathias em Comportamento
Tags:, ,

Olha só…

O muleque falou com a maior naturalidade sobre preconceito e já começa a crucificação.

Os jornalistas de hoje querem mesmo é criar polêmica, a primeira pergunta foi sobre discriminação!

De fato ele pode não considerar-se “Preto”, como disse sem usar do “Políticamente Correto” que aceita Afrodescendente. Até porque aqui todo mundo é misturado, e o menino ainda veio com com olho verde.

É quase uma mistura de Mico-Leão com Huskie-Siberiano!

Estreando uma enquete!

Ouvindo: Megadeth (Já está na web Zuza!)

Pré-Conceito?

Publicado: 4 de março de 2010 por Kzuza em Comportamento, Divergência de opiniões
Tags:, ,

Já escrevi sobre isso aqui, mas vou voltar a bater na mesma tecla. Acho que a sociedade tem me imposto a aceitar como normal uma série de coisas com as quais eu não concordo. E quem é que disse que eu preciso aceitar o que os outros me impõem?

Sei lá, as pessoas acham errado não gostar de alguma coisa, ou ficam se policiando para não parecerem politicamente incorretas. E qual o problema disso?

Todo mundo quer impor modelos, comportamentos adequados, padrões estéticos. E isso transforma nosso mundo numa hipocrisia danada. Porque tem gente que se esforça para se adequar a esses padrões. A viver dentro do que a sociedade impõe como normal. E perde identidade. E a divergência de opiniões passa a ser vista como um mal da humanidade.

Isso se estende por toda a sociedade. Até na política é assim. Não há divergências de opiniões. Há divergência de interesses pessoais. Mas todo político é igual. Hoje mesmo ouvi no rádio um cara comentando sobre isso. Sobre o que Dilma e Serra são diferentes. O que um tem a dizer que prove que é diferente de outro? Absolutamente nada, são todos farinha do mesmo saco.

E aí eu fico pensando se sou diferente dos demais, ou só se não uso máscaras. Se sou anormal por não gostar de gays, ou de nordestinos. Se só eu que abomino gente burra. Se só eu tenho pavor de gente preguiçosa. Ou será que só eu não sou falso político o suficiente para disfarçar esses sentimentos?

Será que sou um monstro por preferir ouvir rock pesado e abominar axé, pagode, música sertaneja, forró, ou estilos de música puramente comerciais?

Não sou melhor que ninguém por causa disso. Não tenho a pretensão de ser. Só acho que todos deviam ser mais livres e menos presos à modelos, padrões. Seria bem menos falso se fosse assim.

Puritanismo

Publicado: 2 de fevereiro de 2010 por Kzuza em Comportamento, Geral
Tags:, , ,

Fico feliz em ver como vivemos em um mundo cada vez mais puritano, sensato e cheio de gente com boas intenções.

A menina faz um boquete pro cara debaixo do edredon, mas não pode mostrar na TV porque não pode se mostrar sexo na TV. Mas mostrar beijo gay e o viadinho pelado à beira da piscina pode.

Agora estão descendo a lenha na CBS, que vetou um comercial com beijo gay no intervalo do Super Bowl, o maior evento esportivo dos Estados Unidos. Estão sendo considerados preconceituosos.

E qual a relação entre tudo isso? Para mim, é a falta de parâmetro. Sim, porque somos homens, e pensamos diferente um do outro. E cada um tem um conceito. E a CBS acha que beijo gay não é legal. Mas a Globo acha que é. E quem está certo?

Penso que esse lance de preconceito é muito subjetivo em alguns casos. O simples fato de não querer expor algo que você não acha legal pode não ser considerado preconceito. Outro exemplo: se o cara é evangélico e não aceita a igreja católica, ele é preconceituoso? Ou só tem uma opinião diferente da minha?

Quem foi que disse que ser gay é normal? Eu acho que não é. E não acho isso preconceito. É uma opinião minha, e ponto final. Quem disse que eu eu estou errado?

Acho que as pessoas precisam entender que todos somos seres humanos, pensantes, e que temos opiniões divergentes sim. É normal. Não fico nem um pouco incomodado com alguém que não gosta de mim, porque me acha chato, ou porque me acha feio, ou porque me acha magro. É normal! O que muita gente confunde é a questão do respeito. Eu também não gosto de corinthianos, nem por isso negaria um emprego, ou um lugar na fila caso ele estivesse precisando, ou uma ajuda. Mas por dinheiro nenhum no mundo eu colocaria uma bandeira do Corinthians na janela de casa. Entendeu a diferença?

Assim, não é porque a CBS vai deixar de mostrar um beijo gay no horário mais caro da TV americana que as bichas precisam ficar apavoradas. Como eu disse ontem para um amigo meu, se os gays fazem tanta questão de serem aceitos por todo mundo, por que não começam eles aceitando também quem não gosta deles?