Posts com Tag ‘comunismo’

No Facebook fizeram o seguinte experimento:

Um grupo anarco-capitalista foi criado e todos se tornaram moderadores (todo indivíduo com o mesmo poder). Em alguns dias o grupo foi deletado por um dos moderadores.

anomia

 

Uma conclusão básica da humanidade é a necessidade de coerção e ordem, sem isso nenhuma sociedade avança, não tem como, visto que a humanidade não é, e nunca foi homogênea. Ninguém consegue agradar a todos!

O problema do anarco-capitalismo é que este seria baseado apenas em plutocracia, ou seja, quem é mais rico manda. Nada diferente da Idade Média ou da Pré-História, onde o mais poderoso fazia o que bem queria. Outro problema é a utopia romântica de respeito ao PNA. Se a individualidade é a supremacia de uma sociedade, então não há ética, mas apenas interesse individual. E se não há ética, então obviamente não há certo e nem errado. Pronto, instaura-se a anomia de Durkheim(…Estou Lendo…)

Já o comunismo propõe uma sociedade sem propriedade privada, onde tudo é “compartilhado”. Ou seja, adeus individualidade. Você terá de abaixar a cabeça para líderes carismáticos e messiânicos ou será degolado em praça pública.

Ambos geram autoritarismo e acabam com a liberdade individual.

Anarco-capitalismo é ditadura do indivíduo, pois é restringir toda a sociedade a pura vontade individual do “cliente”. É resumir o homem a um substrato do que ele parece ser e não do que ele realmente é, é pura mesquinharia filosófica.

No caso do comunismo é a ditadura do coletivo. Mas o coletivo não pensa sozinho, sempre haverá uma mente pensante por trás de um grande grupo menos crítico. É a morte da liberdade. Por isso Gramsci propôs a revolução cultural. Ele pensou uma sociedade e está, depois de morto e através de seus seguidores, implantando seu modelo pensado de sociedade. Não há crítica nisso, odo comunista que segue Gramsci e Marx é uma ovelha ordenada por um pastor.

Não tem como ambos experimentos darem certo. Em teoria já há falhas que, na experiência humana dos últimos 50 mil anos já foi refutada.

O Liberalismo Clássico, por outro lado, não nega o coletivo e ao mesmo tempo garante a individualidade. É o equilíbrio, demanda crescimento intelectual, mas justamente por isso o liberalismo é difícil. Nós não queremos ovelhas e não queremos robôs que agem de acordo com suas vontades mais primitivas.

Queremos gente que pensa por si mesmo!

O real liberalismo é isso: pense, reflita e seja você mesmo! Não negue o debate! Não negue a diferença! Aceite-a e saiba lidar com ela.

FUI!

Anúncios

O Senhor Temaki

Publicado: 5 de dezembro de 2014 por Kzuza em Comportamento
Tags:,

temaki

Não sou muito bom de calcular tempo, mas acho que há um ano mais ou menos, abriu uma galeria de lojas na Rua São Bento, no centro de São Paulo, onde antes era uma grande loja do Ponto Frio. Essa galeria tem alguns estandes no piso superior, no nível da rua São Bento, e alguns restaurantes e lanchonetes no piso inferior, onde funciona uma praça de alimentação.

Nessa praça de alimentação, há algo extremamente curioso. O movimento em geral nem é tão grande na hora do almoço, mas é plenamente fácil observar que mais de 90% dos clientes frequentam o mesmo estabelecimento. Ao todo, são mais ou menos 12 restaurantes, mas todo mundo prefere uma casa de temakis específica. Havia, na mesma galeria, uma restaurante árabe que já fechou. Há uma outra temakeria (essa, uma franquia da Maki’s Place, mais conhecida), mas com movimento quase nulo. Há um restaurante de massas também, e um outro de comida chinesa por quilo, além de outras opções. Ou seja, as opções são várias, mas todo mundo frequenta a mesma casa de temaki.

Por quê?

Bem, existem vários fatores. Como o espaço é reduzido, o dono não oferece muitas opções. Há uns 5 ou 6 tipos de temaki diferentes e alguns poucos acompanhamentos (hot rolls, uramakis e shimeji). Bebida? Só enlatada. O temaki é super recheado, gostoso, e há umas opções de combo (2 ou 3) com preços extremamente atraentes. Simples assim. Não há muita variedade, mas o preço é bom e a comida também.

Aí outro dia ficamos nos perguntando como isso seria visto por um comunista…

Você acharia justo, em um lugar onde os estabelecimentos são todos do mesmo tamanho e o valor do aluguel é praticamente o mesmo, um lojista lucrar mais que os outros? Sim, porque é claro, pelo movimento, que o dono da temakeria acertou no alvo e é o único com movimento de clientes realmente relevante (as filas chegam a ter mais de 30 pessoas por volta do meio-dia).

Em uma mente comunista, isso seria um absurdo. O dono do temaki tem só 3 funcionários. Alguns estabelecimentos já fecharam (como foi o caso da comida árabe que eu mencionei) porque não conseguiram concorrer com ele. Alguns outros vão, invariavelmente, falir também. Isso resultará em desemprego das pessoas que trabalhavam nesses lugares. Pergunto: o Sr. Temaki é o culpado?

O que faria um comunista nesse caso? Deveria o Sr. Temaki pagar um aluguel mais alto porque montou um negócio de sucesso? Deveria o Sr. Temaki ser obrigado a vender uma cota máxima de temakis por dia, a fim de não atrapalhar as vendas dos outros restaurantes? Ou então, deveria ser o Sr. Temaki obrigado a contratar uma mão-de-obra menos qualificada (já que os funcionários dele são extremamente atenciosos com os clientes e produtivos na hora de atender a demanda), já que seu negócio vai bem e existem muitas pessoas passando dificuldade por aí? Ou deveríamos estatizar a temakeria, visto que é uma fonte de receita importante para o nosso país?

Se você achou absurdas as ideias que dei acima, acredite que diariamente muitas pessoas utilizam-se desses mesmos argumentos para defender regimes comunistas pelo mundo todo. Casos de sucesso como o do Sr. Temaki, ao invés de serem valorizados, são cada vez mais raros pois acabam sendo inibidos por várias dessas idéias comunistas. Dificultar, ou até mesmo impedir, que empresários ganhem mais dinheiro, sejam eles o Sr. Temaki ou qualquer outro, não faz nenhum pobre ser mais rico, pelo contrário. Isso faz somente com que ninguém mais queira ser rico, e dessa forma nem mesmo os 3 funcionários do Sr. Temaki teriam seus empregos garantidos.

É culpa da INVEJA!

Publicado: 6 de abril de 2010 por Mathias em Cotidiano, Política, Trabalho
Tags:, ,

Olha só…

Zuza, vou tentar mostrar um novo panorama político, pois eu me acho entendido em política, mas na verdade sou um apenas um curioso metido a intelectual.

É que eu sempre me interesso por assuntos que rondam o nosso dia-a-dia, estando em ano de eleição presidencial nada mais natural do que ler sobre assuntos políticos.

Poderia desenvolver o texto relatando as falcatruas da política brasileira, mas queria aprofundar o tema e abordando uma ideologia política que não deu certo, o Comunismo.

Por coincidência assisti a um filme chamado “Círculo de Fogo“, um romance bacana de um Franco-Atirador Russo em meio a 2a Guerra Mundial.

Tempos de guerra e a Rússia ainda estava em pleno regime “Socialista” de Stalin (Totalitário), combatendo o Nazismo Alemão em Stalingrado.

No desenrolar do filme rolou os clichês hollywoodianos do mocinho, a mocinha e uma disputa pelo seu amor.

O fato é que o filme transmitiu algumas cenas do Regime Socialista de Stalin e monstrou, de forma peculiar, as razões do fracasso do Socialismo Russo, e na minha humilde opinião a decadência do regime nos demais países Socialistas (Acho que é tão peculiar que só eu notei), hoje restam Cuba, a Ilha do Barbudo, e a China, que carrega o Comunismo Maioísta como papel meramente decorativo.

Voltando ao filme…

Em um diálogo os dois soldados amigos, Danilov, o soldado esperto, externa sua inveja ao saber do amor da mocinha pelo seu amigo, o franco-atirador humilde e idolatrado.

É explícito o fator ideológico ao expor a “inveja” do amor, criando um conflito com a ideologia Comunista e dos anseios humanos.

A inveja é um dos sentimentos que tornam o Comunismo um regime político utópico, o Comunismo tira dos homens as suas expectativas de crescimento, a livre iniciativa e o instinto humano de ser mais eficiente quando temos uma recompensa.

Quando se tira recursos dos mais produtivos para os menos produtivos, se contribui para a ineficiência do sistema, seja ele económico ou social.

É intuitivo! A pessoa que não vê uma recompensa maior pelo seu esforço, tende a produzir menos, dessa forma todos são equiparados para baixo, p.e, você está estudando e o seu Professor (Um Petista convicto, rs) decide dividir a nota da classe de forma igualitária entre todos da turma, imagine o que vai acontecer?

Em conjunto com o tema compare os nossos atuais programas sociais ao modelo Socialista e veja como as semelhanças são evidentes.

A humanidade precisa evoluir muitos anos para compreender a filosofia de Karl Marx e Engels, a fim de tornar o Comunismo mais realidade do que um pensamento Utópico.

FUI! Mathias

Ouvindo: Garotos Podres – Anarquia OI!

PS: O Vocalista da banda Garotos Podres (José Rodrigues “Mao” Jr) é doutor em história da USP, e estuda a Revolução Cubana e o Comunista.