Posts com Tag ‘Ano Novo’

Nos 45 do segundo tempo

Publicado: 20 de dezembro de 2017 por Kzuza em Geral
Tags:, ,

É, aposto que você estava pensando que este ano eu não iria fazer minha retrospectiva, né? Pois é, quase você acertou!

Ultimamente não tem me sobrado tempo para muita coisa. A rotina do trabalho tem sido árdua, mas não há luta que eu não consiga vencer. E nesse ponto, esse ano foi fundamental para que eu me convencesse ainda mais disso.

Descobri nos meados desse ano o budismo de Nichiren Daishonin, como muitos sabem, e pela primeira vez encontrei uma religião que ia exatamente ao encontro de tudo o que eu sempre acreditei. Isso tem me deixado cada dia mais forte e mais feliz. Não no sentido do “tontão” que dá risada de tudo, alienado do mundo e sem preocupações, mas sim no sentido de estar sempre pronto para qualquer parada e vencendo qualquer obstáculo.

Tudo bem que 2017 não foi nem de longe o que 2016 foi em termos de perdas e frustrações. Pelo contrário.

Comecei o ano trabalhando por conta própria, fiz vários trabalhos legais, mas como a gente não vive apenas de coisas legais e dinheiro é sempre necessário, voltei ao mercado de trabalho. Eu me ofereci para trabalhar com grandes amigos meus de muitos anos, eles toparam, e lá estou eu até hoje. Não esperava muita coisa, para ser sincero, mas tudo correu muito melhor do que eu esperava. Reencontrei várias (e bota várias nisso) pessoas que eu não via há muito tempo. Trabalhei pela primeira vez para com meu primo Carlos, um dos caras mais competentes e inteligentes que já conheci. Descobri em mim habilidades que eu nunca imaginei ter. Enfim, desenvolvi-me profissionalmente de uma forma absurda. O reconhecimento veio naturalmente.

Entrei e saí de relacionamentos. Conheci gente bacana, compartilhei ótimos momentos, briguei mais do que eu desejava. Frustrei e me frustrei algumas vezes.

Perdi duas vovós postiças esse ano (já que minhas vovós mesmo já eram!), mas com a certeza que agora Dona Vanir e Dona Maria estão fazendo a alegria de muitas outras pessoas, seja lá onde elas estão.

Não ganhei um sobrinho (de novo!), mas ainda tenho esperanças. Mas sinto que me aproximei muito mais da minha família do que vinha fazendo. Mesmo sem tempo, mesmo morando longe, mas sinto que meus encontros com tanta gente que eu gosto aumentaram em quantidade e em intensidade nesse ano, o que é muito bom.

Consegui manter minhas grandes amizades, fazer várias outras novas (principalmente a turma do buda!), mas principalmente, consegui fazer as pazes aos 45 minutos do segundo tempo com gente que realmente importava. Ajudei amigos a encontrarem emprego num ano tão difícil para isso. Passei a me importar mais com as angústias e sofrimentos dos outros (o que para um ser egoísta como eu é um baita avanço!).

E sim, voltei a tocar violão! Mas continuo cantando pior que o Pablo Vittar… 😦

Mas enfim, o ano acabou e eu quase nem vi passar. E o que eu espero desse Natal e do Ano que está por vir? Eu espero que vocês, meus amigos, sejam felizes! Eu quero que vocês sejam cada vez mais pacientes. Espero que passem a vestir mais as sandálias dos que estão ao seu redor, vivam as experiências deles, se importem com eles e sejam o apoio de quem vocês puderem ser. Sejam solidários, sem esperar nada em troca, porque o retorno sempre vem. E que façam sempre o bem e mantenham-se positivos em tudo! Espero que todos façam sua própria revolução humana, que se reinventem, que sejam melhores e modifiquem o futuro de vocês e dos seus próximos. Todos temos um potencial incrível e só depende de nós fazer a diferença.

Façam de 2018 o melhor ano de suas vidas, de nossas vidas!

Anúncios

Um ano de recomeços

Publicado: 16 de dezembro de 2016 por Kzuza em Geral
Tags:, ,

Bem, amigos da Rede Globo, estamos agora por conta do juiz. Aos 43 minutos do segundo tempo de 2016, o árbitro sinaliza mais 15 dias de acréscimo para o término da peleja. Um ano que por mim já poderia ter acabado, mas que ainda tem um suspiro final para todos que são fortes.

Prefiro encarar esse ano não como o ano de grandes perdas, mas sim um ano de grandes recomeços.

Um ano que começou atormentando já no seu segundo dia, com a partida da minha última avó ainda viva. Um sentimento de perda grande, superado pela certeza de que agora a alma dela está livre e não mais presa a um corpo deteriorado pelo Alzheimer. Um recomeço para nós como família, agora com mais responsabilidade de nos apoiarmos uns nos outros. E para mim, agora com várias avós substitutas que me adotaram.

Assim também foi um ano de perdas não só para nós, mas principalmente para grandes amigos. Os compadres Cosme e Chiquinha que viram nosso Kadu partir tão cedo, de forma tão repentina. Nossa família de Tatuí que viu a partida da Ivone, a mulher mais bem humorada e divertida que tive o prazer de conhecer. Meu amigo e co-autor desse blog Matheus e sua esposa Viviane que lutaram tanto nos últimos 4 anos e viram a Isadorinha virar mais uma estrela. E tantos outros próximos que também passaram por momentos semelhantes, mas que prefiro encarar como recomeços de suas vidas, agora de uma maneira diferente, com apoios diferentes, com necessidades diferentes.

Foi também o ano do meu recomeço profissional. Quando decidi abandonar minha carreira para partir em busca de um empreendimento próprio. As dificuldades ainda nem começaram direito, mas certamente o prazer disso não se paga. E aqui devo agradecer imensamente aos amigos que mais me incentivaram e me apoiaram nesse projeto: Karinão, Dani Gomes, Fran e meu primo-compadre-amigo-irmão Carlos, vocês fizeram muito a diferença pra mim. E claro, aos meus pais, que desde o início acreditaram e apoiaram.

Na esfera dos relacionamentos pessoais, também um ano de grandes recomeços. Recomeçar a vida após o término de um namoro nem tão longo, mas intenso, sincero e delicioso, ao lado da pessoa mais admirável que já conheci e já amei. Recomeçar após decepções pessoais repentinas, inexplicáveis. Recomeçar após descobrir que certas amizades não eram exatamente o que eu imaginava.

Ano em que ganhei uma nova sobrinha, Mariana, que significou mais um recomeço para a vida dos meus grandes amigos Fabi e Carlão.

Ano em que conheci um dos lugares mais lindos do mundo, Turks and Caicos, onde a água é de um azul incomparável e a areia é dourada.

Ano em que tive a oportunidade mais que gratificante de encontrar antigos amigos, de mais de 15 anos, da época da Fundação Bradesco, CPM, Bradesco, Politec, EDS… etc., e perceber que pouca coisa mudou. Poder perceber que cultivamos bons relacionamentos e um excelente respeito mútuo durante todo esse tempo foi mais que satisfatório: foi estimulante! E aqui vale identificar pessoalmente cada um com quem tive essa experiência fantástica: Kadu, Bruninho, Recchi, Ostan, Cleber, Alê, Tchuka, Enrico, Andrea, Edi e Japiassu. Os encontros valeram à pena!

Então, somente posso desejar a todos que o Natal de vocês seja repleto de felicidade e paz. Que Cristo esteja com vocês e suas famílias nesse momento de celebração à vida e, por que não, aos recomeços. E que o ano de 2017 seja o melhor ano da vida de todos nós, repleto de coisas boas.

E mais um ano se foi…

Publicado: 18 de dezembro de 2014 por Kzuza em Geral
Tags:,

C-A-R-A-L-H-O!

Desculpem-me pelo palavrão logo no início do texto, mas não tenho como começar meu tradicional desabafo de final de ano senão com essa expressão de indignação! Que ano marcante!

Não, não vou dizer que, mesmo tendo sido o ano mais difícil da minha vida, esse tenha sido um ano de merda. Não, não sou tão pessimista e negativista a esse ponto. Uma paulada de coisas boas aconteceram, suficientes para atenuarem todas as dificuldades que enfrentei.

É lógico que não foi nada fácil encarar as grandes perdas que tivemos esse ano, como a Dona Maria, avó dos meus primos e que por tabela era minha avó também, e do meu tio Gonção, padrinho da minha irmã e meu por tabela também. Também não foi nada fácil encarar os perrengues que passamos com a minha avó esse ano (que o diga meu pai!).

O final do ano também tem sido especialmente difícil para mim. Depois de mais de 5 anos de casados e mais de 8 anos juntos, eu decidi me separar da Juliana. Ela foi sem dúvida a pessoa quem eu mais amei e com quem eu passei os melhores momentos da minha vida, mas infelizmente acabou, por uma série de fatores que nem devem ser detalhados aqui. Certamente foi a coisa mais difícil que fiz na minha vida, mas estou disposto a arcar com todas as consequências em nome da minha felicidade.

Mas também foi o ano de muita coisa boa, a começar pela excelente viagem que fiz à Europa. Conheci lugares que sempre tive vontade de conhecer e, graças a Deus, corresponderam às expectativas. Budapeste é fantástica e ficará para sempre na lembrança, assim como foram todas as cidades da Croácia.

E nada se compara à felicidade de ter ganho meu primeiro sobrinho. O João nasceu em Setembro, 10 dias antes de eu ganhar também uma nova sobrinha-galeta: a Lara. Também nasceu agora o Davi, filho dos meus amigos Leandro e Priscila, e irmão da Letícia.

Só que o mais importante nesse ano turbulento foi ter descoberto o tanto de amigos valiosos que eu tenho. Não vou nem falar da minha família, porque eu nunca tive dúvida do quanto eles eram foda demais, mas meus amigos realmente me surpreenderam para o bem. Não falo daqueles que já me acompanham há tanto tempo e de quem eu jamais esperaria nada diferente de tanto amor e atenção, mas aqueles que me encheram de carinho mesmo sem nenhum motivo aparente. A todos vocês, realmente eu só tenho a agradecer.

No fim, só espero que 2015 seja novamente de muito mais notícias boas do que notícias tristes. Que eu encontre meus primos em mais churrascos e em menos velórios. Que a gente tenha muito mais motivos para rir do que para chorar. E que a felicidade de cada um seja atingida. Será um ano certamente melhor para todos nós.

A você e à sua família, um excelente Natal e um ótimo Ano Novo!

Tempo de Renovar

Publicado: 21 de dezembro de 2013 por Kzuza em Geral
Tags:, ,

Estava aqui pensando que ainda não escrevi nada sobre esse ano que se encerra, como tradicionalmente faço há alguns anos. A correria desse final de ano não tem me deixado pensar muito bem nas coisas, não tenho lembrado de muitos compromissos e dívidas que tenho… enfim, está sendo uma época bem turbulenta. Não gosto muito de escrever quando estou influenciado por fortes emoções, ainda mais na minha tradicional retrospectiva. Mas ainda assim me sinto nessa “dívida moral” com meus amigos.

E até que 2013 foi um ano recheado de ótimas surpresas. Muitas conquistas pessoais, graças a Deus. Consegui 2 férias e 2 viagens sensacionais num mesmo ano, o que é cada vez mais raro nesse mundo workaholic onde vivemos.

Muitos novos bebês chegaram ao mundo (aliás, diga-se de passagem, o mundo acabará em bebês!). Muitos amigos sendo agraciados com novos pimpolhos. E isso é bom, pois cada criança que chega ao mundo faz com que minhas esperanças em um mundo melhor se renovem. Não sei porquê, mas sempre espero o melhor.

Assisti ao último show que faltava na minha lista. Mesmo com um som de bosta, o Black Sabbath é surpreendente.

A Dani e o Douglas casaram e fomos padrinhos! Finalmente! Parecia que não chegava nunca!

Tomei gosto pelo ciclismo. Até que enfim um exercício físico que me agradou, além do tradicional levantamento de copo.

Decidimos botar em prática um plano de ter filhos (embora a Dona Juliana insista em querer mudar de ideia).

Enfim, nossa vida não pára nunca e passamos cada dia mais a buscar novidades para não viver na monotonia. E é isso que eu desejo para todos vocês, meus amigos de sempre. Desejo que todos estejamos sempre nos reinventando, buscando o novo, experimentando, fracassando (por que não?) e aprendendo novas lições. Reclamem menos e façam mais, mudem mais. O mundo precisa disso.

Que o seu Natal seja maravilhoso e que o ano de 2014 seja, como sempre, o melhor ano de nossas vidas.

A solução

Publicado: 31 de dezembro de 2010 por Kzuza em Cotidiano
Tags:,

Sim, eu sou um fodido que trabalha em pleno 31 de Dezembro, assim como meia dúzia de gatos pingados na paulicéia desvairada. Mas eu não ligo.

Aliás, essas duas semanas do ano (entre o Natal e o Ano Novo, e depois a primeira semana do ano seguinte) são a prova mais concreta de que Deus existe e que quer o nosso bem. E também são a prova do que eu sempre digo: São Paulo tem um único problema que é a quantidade de pessoas. Só.

É fácil perceber isso quando cerca de 40% dos habitantes (isso é um chute) deixam a cidade. São Paulo passa a ser o melhor lugar do mundo para se viver e trabalhar. Sim. Não tem trânsito. Não há stress no trabalho. O número de mal-educados nas ruas, shoppings, supermercados e parques chega a quase zero. Não há cliente cobrando prazo. Não há chefe mal-humorado. Não tem cerveja quente. O transporte público funciona. A saúde pública funciona.

E o melhor de tudo isso, sabe o que é? O mundo não acaba por causa disso! É isso que o ser humano precisa enxergar. A sobrevivência da nossa espécie não está condicionada à correria do dia-a-dia, ao trabalho estressante, à ganância pelo dinheiro, nada! Podemos viver (e muitíssimo bem) sem nada disso.

Proponho esvaziar a cidade. Fazer um Censo bonitinho, sem erros, e fazer um sorteio para mandar embora da cidade 30% da população atual. Sem discriminação. Um sorteio democrático. Todos com as mesmas chances de ficar. E então daríamos 6 meses para esses 30% encontrarem emprego e moradia em algum outro lugar do país. Não seria bacana?

Nota: Aos que não possuem censo de humor, isso é só uma brincadeira. Um bom Ano Novo para todos vocês.

Meus votos!

Publicado: 21 de dezembro de 2010 por Kzuza em Geral
Tags:,

Eita!

Nem bem o ano começou, já está acabando. Estamos já em 21 de Dezembro e eu nem vi as coisas acontecerem. Dizem que quanto mais velhos ficamos, sentimos o tempo passar mais rápido. Estou completamente de acordo.

Não posso dizer que 2010 foi um ano cheio de fortes emoções, pois passou longe disso. Mas certamente foi um ano de boas novidades. E claro, de consolidação.

Consolidação das amizades verdadeiras, aquelas de longas datas. Consolidação do casamento. Consolidação da família, agora com todos aqui bem pertinho.

Adotamos um gato. Quer dizer, agora dois. Arrumamos a casa juntos. Vimos nascer a Letícia, e vimos casar a Carol e o Moninho (tem um dedo meu nessa história, por isso peço desculpas à minha prima…rs). Aliás, falando em casamento, esse ano até os “incasáveis” Dudu e Chryss se casaram, e até os “improváveis” Kblo e Dany também.

O Taka engravidou. O Leonardo apanhou. O Carlos quase enfartou. Eu tive uma úlcera. Eu sarei de uma úlcera. Passei a fazer aula de bateria e vendi minha guitarra. Criei um blog com o Matheus. Saí da Fujitsu.

Enfim, um ano longo em um tempo curto. Sem muitas novidades, sem muitas mudanças, mas agitadíssimo.

Só acho que me descuidei muito da minha família e de alguns amigos.

Então por isso desejo que, em 2011, sejamos todos muito mais cuidadosos. Cuidadosos com o nosso amor, com a nossa família, e com os nossos amigos. Que sejamos muito mais respeitosos, e muito menos faladores. Que tenhamos mais calma em tudo. E que tenhamos muito mais brindes do que choros.

Na verdade, isso tudo é o que peço para mim, mas acho que serve também para vocês, meus amigos.

Desejo a todos um excelente Natal, cheio de paz, presente e bebida, porque ninguém é de ferro. E que você faça de 2011 o melhor ano da sua vida.