Estão tentando enganar você…

Publicado: 26 de novembro de 2014 por Kzuza em Divergência de opiniões
Tags:,

É bem possível que, nesse momento, você esteja sendo enganado por alguém. Não, caro amigo leitor, não é por mim. Juro que sou um cara totalmente inocente e incapaz de fazer mal a alguém, tampouco domino as técnicas de persuasão existentes, de maneira que eu possa enganá-lo sem você perceber.

Encontrei na internet essa semana esse Guia das Falácias, de Stephen Downes. Nele, é super fácil identificar diferentes padrões de argumentos falaciosos. Esses padrões identificam falhas nas construções de argumentos (que eu, por exemplo, cometo algumas vezes). No entanto, existe gente que usa esses tipos de construção argumentativa de forma consciente, de maneira a enganar os outros mesmo. Por isso é bom ficar esperto.

Percebo que existe muita gente que se utiliza de algumas dessas construções para tentar defender as suas opiniões. No entanto, são incapazes de manter uma conversa amigável e civilizada quando questionados a respeito dos argumentos utilizados. Pô, Zuza, mas não foi você mesmo quem disse que a gente deveria ser mais livre para opinar sobre o que quisesse? Sim, mas fui eu também quem disse:

Aceitar que o país em que vivemos não é só meu ou seu, pode parecer complicado, mas não é. Muitas vezes a gente precisa ceder um pouco para que o outro ganhe. Amanhã vai ser a vez dele ceder um pouquinho para que nós nos sintamos melhor. E assim segue a vida, assim segue a nossa sociedade.

Onde eu quero chegar com isso? Bem, vamos lá.

Muita gente tem se utilizado de situações isoladas para justificar suas opiniões, sem analisar as circunstâncias do acontecimento. Vamos a alguns exemplos:

Sou contra a liberação do porte de armas para os cidadãos civis. Veja só, nos EUA, a quantidade de alunos que invadem escolas armados e acabam por assassinar outros alunos.

Bem, se você for analisar um pouco melhor, verá que as coisas não são bem assim. Será que somente esses fatos isolados são o suficiente para justificar a sua opinião? Talvez seja melhor entender o outro lado da história, como os benefícios trazidos por uma população armada.

Todo mundo critica o regime socialista, mas Cuba, por exemplo, possui índices baixíssimos de desemprego e analfabetismo, além de ser o país com a menor quantidade de crianças sem-teto.

É como julgar um automóvel usado como sendo bom apenas pelas condições dos seus pneus. Não vou nem questionar os dados acima, mas talvez seja interessante acompanhar a realidade do país in loco, ou mesmo através do site The Real Cuba. Tudo tem os lados bons e ruins, então cabe a você decidir se aceita o pacote completo como ideal.

Vocês ficam aí glorificando a justiça norte-americana, mas os caras condenaram à morte um inocente.

A justiça do homem é falha porque o homem é falho. Dessa forma, TUDO que é de responsabilidade do homem é suscetível à falha. Uma empresa excelente para se trabalhar, como a Jhonson’s & Jhonson’s, não deixa de ser excelente porque tem um diretor estúpido. A Suécia não é um mau país para se viver porque lá existem algumas centenas de moradores de rua. O brasileiro não é um povo necessariamente honesto porque você soube do caso de um rapaz que encontrou uma carteira perdida e a devolveu ao seu dono.

Tem gente reclamando da tal “regulação da mídia” que o PT quer implantar no Brasil, mas a Inglaterra fez o mesmo.

Sério mesmo que você ainda acredita que são situações iguais? Isso daria um post imenso aqui a respeito, mas eu acredito que o Mathias seria muito mais indicado para escrever sobre isso.

Sempre houve corrupção no Brasil, então não sei por que tanto barulho aí por causa do caso Petrobrás.

Calma aí! Você não ficou indignado das outras vezes? Eu fiquei. E por que não foram punidos das outras vezes, não precisam ser punidos agora? Vou lutar quantas vezes foram necessárias até que os responsáveis por esse tipo de falcatrua estejam atrás das grades. Não é uma questão partidária. Relativizar esse tipo de crime sim é problemático.

Olha lá, na XXXXXX (Inglaterra/França/Alemanha/Suécia/Noruega/qualquer país mais desenvolvido) também ocorrem YYYYYY (furtos/erros de projeto/corrupção/assassinatos/qualquer outra coisa ruim) e ninguém fala nada. Onde está seu Deus agora?

Mais uma vez a questão do relativismo para tentar justificar os nossos fracassos e erros a partir de situações que ocorrem em outros lugares. Esse é um caso simples de colocar na balança a frequência com a qual essas coisas acontecem em nações desenvolvidas e compará-la com a frequência disso em terras tupiniquins. Não é muito difícil fazer isso. Esse tipo de argumento falacioso também ocorre em sentenças do tipo: “o capitalismo promove a diferença social e fracassou ao promover a pobreza”. Sim, vamos partir do pressuposto que a pobreza só existe por conta do capitalismo (isso não é verdade, como está bem explicadinho aqui, mas vamos continuar assim). Então mostre onde não existe pobreza. E volto novamente a uma questão que já fiz: os pobres são iguais em todos os lugares do mundo? Não faz diferença ser pobre em Cuba ou na Noruega?


Enfim, minha intenção aqui não é criticar ninguém, só acho legal ser sensato e analisar pontos de vista diferentes antes de emitir uma opinião. Nem tudo que balança é ouro, nem tudo que reluz cai. Ou não.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s