Israel x Palestina, sobre o duplo padrão de julgamento.

Publicado: 11 de julho de 2014 por Mathias em Política, Religiões, violência

A mais ou menos duas semanas que os noticiários aqui no Brasil dão ênfase ao conflito Israel x Palestina e agora as pessoas começam a formar suas opiniões. A maioria tenta traduzir todo o conflito, que se arrasta há séculos, com frases de efeito e quadrinhos ilustrados para defender um dos lados ou evitam algum julgamento objetivo colocando-os no mesmo nível moral.

israel1

Cobertura da mídia é imparcial?

Vejo o relativismo moral como um problema a ser combatido, pois ao nivelar ambos os lados o mais justo será prejudicado e o duplo padrão de julgamento torna impossível enxergar a realidade dos fatos.

Primeiramente acho que não há inocente no conflito, mas tenho claro minha convicção de que Israel sofre com calúnias e injustiças e o povo judeu será um eterno bode expiatório dos males do mundo, é o traço do antissemitismo histórico do Islã no Oriente Médio e que se espalhou com a ajuda da fraude do texto “Protocolos dos sábios de Sião” surgido na Rússia em 1897 culminando após alguns anos no holocausto da 2ª Guerra Mundial.

“As explosões de antissemitismo parecem não requerer explicação especial, como consequências naturais de um problema eterno. É perfeitamente natural que os antissemitas profissionais adotassem essa doutrina: é o melhor álibi para todos os horrores. Se é verdade que a humanidade tem insistido em assassinar judeus durante mais de 2 mil anos, então a matança de judeus é uma ocupação normal e até mesmo humana, e o ódio aos judeus fica justificado, sem necessitar de argumentos” Origens do totalitarismo, Hannah Arendt

Historicamente acho importante saber que o nome “Palestina” surgiu somente na era Pós-Cristo, antes a região se chamava Judéia e os judeus saíram de lá por imposição dos Romanos. E mesmo após a expulsão dos judeus a região nunca foi considerada uma nação organizada, tratava-se de vários grupos espalhados, inclusive com diversas línguas distintas.
Portanto é falso o argumento colonizador de Israel ante os Palestinos na região que nunca deixou de ter, em números reduzidos, judeus principalmente onde hoje é Tel Aviv. Existia convívio pacífico até a chegada de Maomé (ano 600) e a ordem de “Jamais existir outra religião na Arábia”.

A partir daí vejo o início dos problemas que perduram até hoje. Mas me atenho pelo período mais atual, a partir de 1890

Os árabes muçulmanos apoiaram o Império Otomano (Antiga Turquia) na Primeira Guerra – ficando com grandes territórios mesmo perdendo o combate – e apoiaram Hitler na Segunda Guerra, recebendo apoio financeiro e logístico da SS aos antissemitas.

Em 1929 aconteceu o massacre de Hebron, 60 judeus mortos e os demais expulsos.
Em 1937 houve a rejeição árabe da divisão da região entre judeus e a palestina, eles queriam a retirada de todos e o controle árabe total.
Em 1944 houve a tentativa de envenenamento dos poços de Tel Aviv.

Só após a Segunda Guerra houve a necessidade de criar o Estado judaico por questão de segurança já que não se sustentava o convívio muçulmano e judaico. A questão do surgimento do Estado de Israel por imposição política e diplomática não é única, mas há um claro monopólio do julgamento desta questão.

A partir daí que considero o começo do uso do terrorismo comumente a todo o território de liderança muçulmana e a tática de persuadir a opinião pública em qualquer reação de Israel.

israel5

Sempre há crianças e sangue de um lado. Do outro apenas uma “bombinha”

Só quando conheci de forma mais densa de todo o cenário que pude compreender a diferença moral entre os dois lados do conflito defendo inexoravelmente os direitos de Israel.

Em 1967 a Guerra vencida por Israel deixou o menor número de civis entre todas as outras guerras.

Em 1973 Egito e Síria lançaram ataques em Israel no Yom Kippur, o dia sagrado do ano judeu..

O objetivo da OLP, do Hamas e de muitos outros grupos é eliminar o Estado de Israel. Seu líder, já morto, Yasser Arafat, nunca negou o fato. Enquanto a mulher e filha de Arafat viviam na França, filhos de palestinos, entre crianças, eram mandados como bombas humanas para o assassinato de crianças, mulheres e idosos judeus. O exército de Israel defende seu povo, principalmente mulheres e crianças.

israel4

Será que ambos estão espontaneamente em seus postos?

Arafat é homenageado pela ONU como grande líder, nada foi dito quando Egito e Cisjordânia ocuparam a Palestina.

Árabes vivem e trabalham em Israel. Já na palestina é inimaginável qualquer permanência no território.

O muro erguido por Israel, construído para evitar ataques terroristas, são criticadas.

Israel é um país democrático, tem escolas laica, religiosa, ortodoxa, municipais e árabes;

A mulher é respeitada em Israel, enquanto na palestina vivem sob o medo.

 

O duplo padrão do julgamento é claramente antissemita.

Nunca houve uma crítica dura dos direitos humanos por serem os próprios árabes e muçulmanos os maiores assassinos dos palestinos.

Nunca vi nada a respeito da situação do Tibete, sempre passivo aos ataques da China, somente no filme Hotel Ruanda a guerra civil e o genocídio de grupos internos são retratadas, o Boko Haram sequestra, estupra e mata mulheres cristãs na Nigéria. Pol Pot comete genocídio no Camboja.

É um mesmo peso para duas medidas!

Procure os fatos nas origens, leia, pesquise, questione, procure os argumentos do outro lado. Eu procurei e não encontrei nada que mereça nem mesmo um ponto de atenção, tudo que há de defesa dos atos terroristas são baseados em questões históricas de mais de 2000 mil anos e todos baseados em questões religiosas fundamentalistas e fanáticas.

“Não há solução para o problema palestino a não ser pela jihad”. Essa é a opinião dos líderes palestinos para a questão de Israel.

Como poderia defender alguma equivalência do confronto?

FUI!
Mathias

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s