Resolvi diversificar um pouco o assunto do blog e escolher os 10 melhores discos que já ouvi. Claro que isso é meramente a minha modesta opinião.

Vou explicar a minha forma de escolha. Elegi meus 10 artistas favoritos, e selecionei o melhor disco de cada um. Achei sacanagem colocar mais de um disco de um mesmo artista, embora muitos deles merecessem. Mas enfim, foi a forma que achei mais justa para montar essa lista. A lista está na ordem dos meus álbuns preferidos, e não dos artistas preferidos. Então, começamos pela:

Posição 10:Theatre of Tragedy – Aégis (1998)

Porra, Zuza, um álbum de metal gótico na sua lista de 10 álbums prediletos? Sim! Cara, sou fãzasso dos noruegueses do Theatre of Tragedy. Sério. Os caras são extremamente versáteis. Os 3 primeiros álbuns deles (o homônimo Theatre of Tragedy, Velvet Darkness They Fear e esse) são extremamente góticos, e depois entraram numa onda um pouco mais eletrônica, mas com discos tão bons quanto. Mas esse disco, sem brincadeira, é um dos poucos dos quais eu gosto de todas as músicas, de cabo à rabo. O destaque especialíssimo vai para Venus, cantado em latim pela vocalista Liv Kristine (que posteriormente saiu e fundou sua própria banda, o Leave´s Eyes). Não é um tipo de música para se animar um churrasco na praia, é claro, mas vale para ótimos momentos de descontração.

Posição 9:Black Sabbath – Black Sabbath (1970)

Black Sabbath sempre foi e sempre será minha banda favorita. Não tenho como negar. E é óbvio que para mim, fã de carteirinha, é dificílimo escolher o melhor entre seus discos. Se eu não fosse escolher somente um disco por banda, certamente colocaria pelo menos 3 dessa banda inglesa aqui na lista. Mas regras são regras, então fico com o primeiro disco da banda. Aquele mesmo que titio Ozzy mostrou para sua mãe e falou: “Olha só, é a minha voz gravada em um pedaço de plástico!”. Talvez seja o primeiro disco de heavy metal da história. O meu destaque vai para Sleeping Village (talvez agora você que me tem no MSN entenda de onde vem o meu endereço de e-mail).

Posição 8:Iron Maiden – Powerslave (1984)

Esse é daqueles que vale à pena desde a capa, passando pelo encarte (no caso do CD), incluindo todas as músicas. Matador. Daqueles que dá vontade de sair dando bicuda na canela da vizinha chata. Os ingleses da Donzela de Ferro simplesmente gastaram todas as melhores energias na composição desse disco. Tanto é que, na minha opinião, nunca mais fizeram um disco à altura. Aliás, para ser ainda mais sincero, nunca mais chegaram nem perto. Powerslave é uma obra-prima do heavy metal. Para mim, tudo é impecável nesse álbum, mas nada supera a perfeição de Rime of the Ancient Mariner, uma verdadeira ópera de mais de 13 minutos, encerrada pela célebre estrofe:

“The Mariner’s bound to tell of his story
To tell his tale wherever he goes
To teach God’s word by his own example
That we must love all things that God made”

Posição 7:Nightwish – Century Child (2002)

Na minha opinião, a vocalista Tarja Turunen atingiu o ápice da sua carreira nesse álbum. Aliás, acho que a banda inteira estava inspiradíssima nesse momento da carreira. Talvez por isso nunca mais foram os mesmos, o que culminou na saída da vocalista anos depois. Para quem gosta de heavy metal melódico, é o melhor álbum de todos os tempos. Marco Hietala apavora nos vocais e Jukka Nevalainen está simplesmente fulminante na batera. A harmonia das músicas é um caso à parte, e dispensa comentários. Só escutando para entender. Destaque matador para Slaying the Dreamer, mas também não posso deixar de citar Feel for You. Tive a oportunidade de ver os caras ao vivo aqui no Brasil na última turnê da Tarja (diga-se de passagem, foi o penúltimo show dela com a banda, pois foi demitida após o show seguinte, em Buenos Aires) e confirmo: os caras são bons demais!

Posição 6:John Butler Trio – Sunrise Over Sea (2004)

Ouvi John Butler Trio pela primeira vez na casa de um amigo meu. Uma amiga dele, australiana, tinha indicado para ele essa banda da sua terra. Liderada pelo multi-instrumentista John Butler, os caras têm um som que mescla reggae, roots e surf music. A gravação do disco contou com o percussionista Nicky Bomba, que depois acabou se tornando o baterista oficial do trio, e com o baixista Shannon Birchall. Tive a oportunidade de conferir os caras ao vivo aqui no Brasil há pouco tempo atrás e posso dizer: John Butler o melhor músico de cordas que já vi. Digo cordas porque o cara toca de tudo. E compõe bem pra cacete! Além de tudo, é extremamente carismático. Enfim, a banda vale muito à pena. O disco, então, nem se fala. Destaque para Peaches and Cream, que ele compôs em homenagem à mulher e à filha, e também para Treat Yo Mama. Um álbum para tocar de fundo em uma noite de sexo. Sério, vai por mim.

Posição 5:Exodus – Force of Habit (1992)

Disco poderosíssimo. A banda de thrash metal, que entre seus fundadores tem o conhecido Kirk Hammet, hoje guitarrista do Metallica, literalmente arrebenta nesse disco. As guitarras de Gary Holt e Rick Hunolt são pra headbanger nenhum botar defeito. O vocal característico de Steve Souza é a marca registrada dessa fase da banda. Destaques para a faixa título do álbum e Good Day to Die, que já entrou na minha lista de músicas para ensinar na escola.

Posição 4:Faith No More – King for a Day… Fool for a Lifetime (1995)

Sem brincadeira, esse foi o disco mais difícil de escolher. Isso porque, para mim, todos os álbuns do Faith no More são sensacionais. Angel Dust é espetacular, mas King for a Day ganhou por 2 fatores. Primeiro, foi o primeiro CD que comprei na minha vida. Sim, na época que os vinis começavam a dar lugar para os disquinhos compactos, meu pai adquiriu um toca CDs na época e essa foi minha primeira aquisição. Faith No More sempre foi uma das minhas bandas favoritas, mas marcou muito minha infância e adolescência. Em segundo lugar, esse disco contém a matadora faixa Digging the Grave, que se não é a melhor música do mundo, está muito perto. A faixa título King for a Day e Evidence são outras que não podem passar batido.

Posição 3:Lynyrd Skynyrd – Pronounced ‘Lĕh-‘nérd ‘Skin-‘nérd (1973)

Acho que no dia que Ronnie Van Zant nasceu, Deus olhou pra ele e falou: “Filho, tua missão na Terra é gravar essa porra desse álbum. Então faz o teu melhor com o dom que Eu estou te dando!”. E ele foi lá e fez. Dispensa qualquer comentários, considerando que o mesmo disco contém, nada mais, nada menos, os clássicos Simple Man e Freebird. Isso só seria o suficiente para colocá-lo entre meus top 10, mas o álbum contém muito mais que isso. A estreia da banda não poderia ter sido melhor. É o tipo de disco que dá para ouvir chorando do começo até o final, mesmo você sendo macho.

Posição 2:Hogjaw – Ironwood (2010)

Sério, eu devo muito ao Kuvasney por ter me apresentado a esses caras do Hogjaw. A resenha dele sobre o disco, que você pode ler aqui, diz tudo o que você precisa saber sobre esse disco maravilhoso. Southern Rock de maior qualidade. Uma banda nova que reúne tudo de melhor que existe no mundo do rock´n roll. A influência do Lynyrd Skynyrd no som dos caras é notável, mas eles têm personalidade e qualidades próprias para serem diferenciados. É obrigatório ouvir Ain’t Ever Gonna Win (Without a Little Bit of Sin) ao menos uma vez antes de morrer. Com certeza, você irá querer escutar de novo.

Posição 1:Metallica – Kill’em All (1983)

Para quem gosta de thrash, é impossível não gostar desse disco. Na minha modesta opinião, o disco é perfeito, da primeira à última faixa. A contribuição de Dave Mustaine é muito mais notória do que os simples créditos nas músicas. Sua influência é clara. Os então meninos do Metallica, nessa época, eram muito mais machos do que são hoje em dia com seus comportamentos “bichísticos”, cabelinhos aparadinhos e roupas de grife. Não tenho como destacar nenhuma música do disco. Para mim, todas são igualmente matadoras e deviam ser ensinadas na escola desde o ensino infantil. Se você tem filho pequeno, devia botar esse disco para ele ouvir desde já. Garanto que não se arrependerá depois.

Enfim, é tudo uma questão de gosto. Esse é o meu. E você, o que achou da lista?

Anúncios
comentários
  1. […] atrás eu listei aqui os meus 10 discos favoritos (não mudaria a lista hoje). Então bora […]

    Curtir

  2. Mathias disse:

    Faltou ele … a VOZ… o mestre dos mestres, o senhor das canções corneanas, o cara que ensinou Erasmo a tocar violão e Roberto Carlos a conhecer Chuck Berry.

    TIM MAIA porra !!!

    Curtir

  3. Ah, e o Sabbath, bicho, eu nem me atrevo a comentar

    Curtir

  4. Concordo com a maioria das bandas, discordo de alguns álbuns (não que sejam ruins, claro). Faith No More, entendo pelo lado afetivo do KFAD, mas o Angel Dust, pra mim, é o melhor álbum de todos os tempos. Do Exodus, é interessante seu gosto pelo Force of Habit, é um dos menos falados da banda. Eu não gosto tanto, meu favorito deles é o Impact Is Imminent e ganhou praticamente porque tem a Changing of the Guard. Do Metallica, é quase impossível escolher um melhor entre os 4 primeiros, então vou me esquivar. O mesmo com o Skynyrd, banda linda, com albuns sensacionais. O Hogjaw eu concordo, apesar dos dois álbuns deles serem espetaculares! Cara, Hogjaw é pra chorar de emoção. Já Theatre of Tragedy, Nightwish e o John Butler Trio não são muito a minha praia. E o Iron Maiden eu prefiro a fase do Paulo Baiano.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s