JC é o cara!

Publicado: 7 de julho de 2011 por Kzuza em Religiões
Tags:, ,

Não sei se eu sou um cara facilmente influenciado, mas a cada livro que eu leio começo a filosofar sobre o que está escrito lá. Não está sendo diferente agora, até porque o assunto em questão é muito polêmico. Não, não estou lendo sobre mamilos. Estou lendo um livro chamado “Eu, Judas”. É a transcrição de um manuscrito de Judas Iscariotes, escrito pelo próprio, na época que era discípulo de um tal de Jesus Cristo.

Em paralelo, o bonitão aqui comprou também a revista SuperInteressante desse mês de Julho/2011, que também fala do tal JC. Mais precisamente, dos anos ocultos do cara, sobre os quais a Bíblia não trata. A reportagem é interessante, mas não tem nada que eu já não sabia. Muitas teorias conspiratórias, muitas hipóteses, mas nenhum fato novo. Nada diferente do que meu ex-professor Carlão, ateu convicto, já tivesse me dito.

Mas enfim, esse tal livro de Judas nada mais é do que um evangelho de outra pessoa. Um livro que não foi escolhido para compor a Bíblia Sagrada. Mas que, no fundo, no fundo, trata exatamente do mesmo assunto e conta as mesmas histórias que Matheus, Marcos, João e Lucas contavam.

Pausa para um comentário: Você sabia que os livros, na verdade, não foram escritos nem por Matheus, nem por Marcos, nem por João, e nem por Lucas? Os livros foram denominados obras desses autores somente por convenção. Os livros foram escritos por volta dos anos 80 e 90 d.C.. Além disso, descobri também que JC não nasceu no ano 0, você sabia? O menino nasceu mais ou menos em 3 ou 4 a.C. Vai entender, né?

Então, já escrevi sobre isso aqui há um tempo atrás: eu nunca li a Bíblia. Quer dizer, não inteira. Já li alguns trechos na época que frequentava a igreja, nos meus anos de catecismo, por exemplo. Dessa forma, não sou nenhum especialista no livro, muito pelo contrário. E mesmo assim, como eu já disse no outro post também, eu respeito qualquer religião desde que o único fim seja a prática do BEM, que para mim sim é único. E acho também que cada um pode acreditar no que quiser.

Mas lendo mais sobre o assunto, comecei a achar ridículo pessoas que tentam usar o tal livro sagrado como um manual de regras para sua vida. Aqueles que procuram significados ocultos nas palavras da Bíblia. Ou que criam teorias conspiratórias acerca dos acontecimentos lá mencionados. E é aí que surgem as religiões. Em alguns casos, religiões que se transformam em seitas. Pessoas que procuram doutrinar outras pessoas. A criação de rituais sem sentido.

A coisa é muito mais simples, camarada. O próprio personagem central do livro mais vendido do mundo provou isso.

É por isso que eu digo: Jesus Cristo é o cara, meu amigo. E a palavra dele é muito fácil de entender. A mensagem que o cara trouxe é a mais simples de toda, mas o homem sempre quis complicar. Maluco, o cara pregava para quem não sabia nem ler, nem escrever. Não havia TV, não havia rádio, não havia jornais. E mesmo assim a palavra do cara avançava pelo mundo afora. Para judeus, e para gentios (não-judeus). E o seguiam como salvador.

O cara era tão foda, meu irmão, que até hoje a palavra dele está aí, para quem quiser ouvir. A merda, sabe qual é? A merda é que tem muita gente querendo tirar vantagem em cima dele. Isso desde a época do próprio. Gente que quer que você louve ao Senhor da forma como ele quer, não da forma como Deus quer que seja.

Sério. Religião, pra mim, nada mais é do que um monte de gente unida que quer que você acredite em algo com a sua cabeça, e não com o seu coração. Sim, porque se até um imbecil como eu entende a mensagem dele, qualquer um pode entender se procurar ouvir com o coração.

Sei que esse papo é muito piegas e, se você chegou até esse ponto no texto, é porque você gosta muito de mim ou porque a mensagem tem algo de verdade.

Enfim, o que eu quero dizer é que você não precisa ir a uma igreja que ostenta cálices e crucifixos de ouro, nem que tenha padres pedófilos, muito menos pastores que lhe obrigam dar dinheiro à igreja. Também não precisa deixar de ter TV em casa, nem abominar a transfusão de sangue. O Deus é único e não tem vaidade. Ele não precisa de oferendas. Ele precisa da sua fé nele, SOMENTE. Sem ritos.

A mensagem que Jesus Cristo trouxe é uma só: Amem aos outros como amam a si próprios e tenham fé no Deus único. É só a vontade Dele que vale.

Observação final: Tenho muitas outras coisas para escrever aqui, e daria um texto enorme. Vou parar por aqui. O que eu escrevi não é blasfêmia. Também estou longe de ser santo, eu me coloco no meu lugar. Isso é uma mera opinião.

Anúncios
comentários
  1. Se JC existiu ou não, não sei. Mas pra conseguir transmitir ao mundo todo uma história como essa, o contador tinha que ser muito foda. Existe muita hipocrisisa com relação à Deus e, consequentemente, à JC. O Deus do antigo testamento era um Deus vingativo, assassino e cruel. E do Novo Testamento se dá, basicamente, na figura de JC, um ser sereno, amoroso e extremamente habil com as palavras. Na minha humilde opinião, o Deus vingativo do AT foi inventado pelo povo judeu para segurar o povo, que não tinha regras nem muita educação. JC veio a terra pra mostrar que não era bem aquilo, mas o povo nao entendeu sua mensagem. E a passaram errada, de geração pra geração, cada um adicionando suas regras e seus interesses. Eu tenho certeza que, se JC um dia voltar à terra e vc chegar nele conversando da forma como vc escreveu no post, ele nao vai se importar. Criaram um mito em cima dele que não é verdade.

    Curtir

  2. Mathias disse:

    E essa figura ai foi publicada na revista Hustler, aquela do Larry Flynt.

    Curtir

  3. Mathias disse:

    Zuza, vc é um agnóstico enrustido!

    Curtir

  4. Kbça disse:

    Concordo PRENAMENTCHI. JC é O MANO.
    Uma vez entrei num debate com 2 pessoas (uma delas católica fervorosa e praticante) sobre o JC dentro do conceito da Santíssima Trindade. Veja bem, não sou um entendido e nem possuo religião, aliás costumo dizer que eu sigo a minha própria religião. O debate era sobre a seguinte dúvida (que, aliás, era minha): se Ele (JC) é filho de Deus, posso considerá-lo meu irmão, correto ? Então pq muitos referem-se a ele como se ele fosse Pai ? Foi interessante.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s