Vitória!

Publicado: 26 de maio de 2011 por Kzuza em Relacionamento
Tags:

Estava aqui caçando um tema sobre o qual escrever hoje, e quase não percebi que o acontecimento mais importante do dia estava na minha frente! Então chegou a hora.

Hoje meu pais, Dona Zuzona e Seu Zuzão, estão completando 32 anos de casados! Caraca, merrmão! É tempo pra cacete, meu camarada! E em todo esse tempo nunca viram o Curintcha ganhar uma Libertadores!

Tá, mas vamos deixar de gracinha e comentar o que é sério nessa história.

Será que você faz uma idéia do que é isso? 32 anos morando numa mesma casa, um olhando pra cara do outro, todo santo dia? Tá, você vai me dizer que já viu outros casos assim. Sim, mas quantos? E uma pergunta ainda mais intrigante: desses que vocês já viram passar dos 32 anos de matrimônio, quantos deles ainda se respeitavam? Quantos ainda eram cúmplices um do outro? Quantos ainda saíam juntos para se divertir? Conversavam sobre amenidades, e davam risada? Quantos realmente tinham orgulho de estar por todo aquele tempo junto?

Aí você vai dizer: “Pô, Zuza, da hora! Seus pais são o perfeito exemplo de família! São pais perfeitos!”. O cacete! São nada. Discutem como qualquer casal. Brigam. Erram. E criaram um filho rabugento e uma filha ‘zé mané’. Imagino quantas vezes minha mãe não teve que aguentar os discursos chatos e as lições de moral do meu pai nesses anos. E quantas vezes o meu pai não teve que aguentar minha mãe chorando por qualquer frescura. É, camarada, não deve ter sido nada fácil!

Mas tem uma coisa na qual eles são imbatíveis: o respeito e a confiança dos dois não se abalam nunca. Nem entre eles, nem com os filhos. Por maior que seja a cagada. Por mais dura que tenha sido a discussão. Eles estão sempre lá. E não é para transparecer uma imagem para as outras pessoas diferente daquela que existe dentro de casa. Isso eu garanto. Agem desse jeito por natureza, por instinto, como se de fato tivessem nascido um para o outro. Acho até que Deus deve ter feito isso mesmo.

Já vi casais que escolhem ficar juntos, mesmo que não haja respeito, mesmo que não haja amor suficiente, só por conveniência. Seja para manter as aparências, seja para manter o modelo da tal “estrutura familiar” inabalado.

Seu Zuzão costuma dizer que eles são uma raridade. E graças a Deus, são meus pais, dos quais eu tenho muito orgulho.

Atualização: Esqueci de comentar aqui, mas no mesmo dia do aniversário de casamento dos meus pais, também foi aniversário de casamento dos meus padrinhos: 51 anos. Uma ótima idéia, né não?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s