Disfarces

Publicado: 30 de abril de 2010 por Kzuza em Geral
Tags:, ,

Essa semana fui surpreendido com uma notícia muito chata. A Blausiegel Medicamentos retirou seu patrocínio do time de vôlei de São Caetano, terceiro colocado na Superliga Feminina desse ano. Time esse que contava com as campeãs olímpicas Sheilla, Mari e Fofão. Enfim, um fim trágico para uma parceria de 2 anos que trouxe apenas um título pequeno, mas que me divertiu bastante nesse ano.

Mais ou menos o que aconteceu com o Osasco ano passado, que perdeu o patrocínio da Finasa (do banco Bradesco, na verdade), e que semanas depois firmou parceria com a Nestlé e levantou a taça esse ano. Bom seria se acontecesse algo bem parecido com o time de São Caetano, vamos aguardar.

Mas enfim, fico pensando o que leva tais empresas a abandonarem o esporte assim. O discurso de que “houve mudanças no corpo executivo da Blausiegel” não cola para mim, assim como não colou o Bradesco, o banco com o maior lucro líquido na América Latina, declarar que o fim do patrocínio se devia às mudanças nos investimentos.

Isso porque investir no esporte é muito mais do que retorno financeiro. Investir no esporte serve de exemplo para todo mundo, é meio que uma corrente do bem. Mas isso não interessa aqui no Brasil.

A Blausiegel manteve o patrocínio na Stock Car, e por que? Explico.

De uma forma disfarçada, como se ninguém soubesse, tudo o que acontece nesse nosso LISARB (como gosta de dizer o Matheus) é controlado de alguma forma pela Rede Globo. É ela quem diz o que você deve gostar, o que você deve assistir, em que horário você deve fazer as coisas, etc. Você acha que não, mas é verdade. Comece a reparar na sua rotina diária e verá que isso é muito mais sério do que eu estou escrevendo.

E para a Globo, vôlei não vale nada. Aliás, a partida final até vale alguma coisa, e eles transmitem. No horário que eles querem que você assista. E tanto a Superliga Feminina quanto a Masculina são disputadas em jogo único. Sabe por que? Porque a Globo não quer disponibilizar mais de um espaço na sua grade para transmitir um jogo de voleibol. Porque não dá muito retorno. E é por isso que os diretores da Blausiegel ficaram putos do time não ter se classificado para a final. Porque a marca não é divulgada na massa, só para quem é muito fã (como eu). E isso não dá retorno.

O mesmo para o Bradesco. 4 anos sem ver o Finasa campeão. E o desgaste da marca? Porque a Globo só mostrava um jogo no ano, e justamente nesse ano o Osasco levava ferro do Rio de Janeiro. E aí?

E o esporte continua sem ser valorizado. Por quê? Porque a Globo não quer. O futebol dá mais dinheiro, muito mais.

O mesmo acontece com o basquete brasileiro. A NBB é até uma sacada legal, de gente bem intencionada, que quer desenvolver o esporte no país. Mas a Globo também não gosta, então não vingou.

Esse monopólio da informação molda o país. Não venha me dizer que você também não é refém disso. E se você quiser se livrar dele, você vai se dar mal. Como eu, que tentei acompanhar o vôlei esse ano. E meu time acabou.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s