Onde vamos com tanta pressa?

Publicado: 3 de fevereiro de 2010 por Kzuza em Comportamento, Trabalho
Tags:

Tenho um tio que foi morar em Manaus, transferido pela empresa na qual ele trabalha. Alguns parentes foram visitá-lo agora nas férias. Calor absurdo. Povo feio. Serviços mal prestados. Um outro tio comentou sobre as condições de vida do povo lá. Barracos de madeira, com uma TV e uma antena parabólica. É tudo do que eles precisam.

Aí lembrei de uma mulher que trabalhava comigo e dizia sempre: “A ignorância é uma bênção”. Ela defendia que, quanto mais ignorante, menos sofrimento. Quanto menos se sabe, menos dor de cabeça nós temos. E aí emendei pro meu tio: “Esses caras é que tem qualidade de vida: eles não sofrem!”. E ele concordou.

Estamos condicionados e esquecemos que somos animais. Esquecemos que, para viver, nós precisamos de bebida, comida e segurança (abrigo). Todo o resto é supérfluo. Mas nós achamos que precisamos morar em casas grandes, com quadros, espelhos, TVs de LCD de 42 polegadas, computadores, telefones celulares, etc. E é aí que muita coisa começa a se explicar.

Hoje no metrô fui empurrado por uma nanica. E ela ia descer na próxima estação, onde eu também desceria. E ela empurrou ainda um outro rapaz que estava na porta, mesmo antes do trem ter parado. E ontem vi no ônibus algo parecido, onde uma mulher distrubuía cotoveladas para tentar chegar à porta de saída, sendo que ela só ia descer muito mais pra frente. Então eu pergunto: onde elas iam com tanta pressa?

A maioria dos meus amigos (e eu me incluo na lista também) saem cedo de casa e voltam tarde. Trabalham mais de 8 horas por dia. Almoçam correndo. Não tem tempo para os amigos. Não tem tempo para a família. Não veem seus filhos crescer. Quando perguntados por que estão sumidos, a resposta é sempre a mesma: “Nossa, tá mó correria!”. Quando perguntados se está tudo bem, respondem: “Só na correria”. Então eu pergunto: estamos correndo para onde? Ou pior: estamos correndo de quem?

Corremos para garantir um emprego. Corremos porque precisamos trabalhar muito. Corremos porque temos que nos destacar. Corremos porque nossas empresas dependem de nós. Para que? Para gerar lucro. Para quem? Para os donos. E quais são os outros objetivos? A vida de quem está melhorando com o que estamos fazendo? Fazemos um mundo melhor, mais limpo, mais saudável, ou é justamente o contrário?

Não comemos mais, ou bebemos mais, ou estamos mais seguros porque vivemos correndo. Quero dizer, precisamos de tudo isso? Que qualidade de vida ganhamos com tudo isso?

Isso porque a gente acha que pensa. Que é mais inteligente. Que quem tem mais dinheiro vive melhor. Que é preciso se trabalhar mais para viver melhor, sendo que quanto mais trabalhamos, menos vivemos. E aí eu penso naqueles que se satisfazem matando a sede com a água da nascente, matando a fome com o peixe pescado no rio, e se abrigando em casas simples de madeira. Dá até para ter o luxo de uma TV em casa, com antena parabólica, e mesmo assim sobra-se muito mais tempo para viver.

E você achando que aquele seu chefe era melhor que todo mundo por ser um gerente de merda, né?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s